Tag: Incentivo Cultural

DIVINA COMÉDIA MOSTRA SHOW DE BANDOLIM ELÉTRICO NO BURLE MARX

14/10/2011

NEY MARQUES E BANDOLIM ELÉTRICO SÃO ATRAÇÕES

DA SÉRIE MÚSICA NO BURLE MARX

Com repertório de choros, rock, jazz e frevos, explorados em obras de Jacob do Bandolim, Pixinguinha, Pat Metheny, Sivuca e Dodô e Osmar, além de conhecidas trilhas sonoras de programas de TV, grupo liderado por Ney Marques apresentou-se domingo, 11, gratuitamente; iniciativa da Fundação Aron Birmann, administradora do Parque Burle Marx, tem curadoria e produção da Divina Comédia, com apoio do Shopping Jardim Sul e da Camargo Corrêa Desenvolvimento Imobiliário

SERVIÇO

MÚSICA NO BURLE MARX. 

Atração: NEY MARQUES E BANDOLIM ELÉTRICO

Local: Parque Burle Marx (www.parqueburlemarx.com.br), Av. Dona Helena Pereira de Morais, 200. Quando: domingo, 11 de dezembro, 11h. CENSURA LIVRE. GRÁTIS. Estacionamento: R$8,00

Mais informações à imprensa: Textos & Ideias

Bandolinista, guitarrista e violonista, Ney Marques, criador e líder do Bandolim Elétrico, atua no mercado há mais de 25 anos, portando uma guitarra baiana Midi de múltipla sonoridade: soa como cítara, banjo, violino e todas as possibilidades sonoras da mistura desses instrumentos, além de bandolim. No palco, terá a companhia de Zé Antônio (teclados e arranjos), Luiz Rabello ( percuteria), Beto Abbatepaulo (violões e guitarra), Cássio Poletto (Violino) e Bosco Fonseca (baixo acústico) e, ainda, como convidada especial, a cantora e compositora Dani Gurgel e a instrumentista Adriana Sanches .

NEY MARQUES, CURRÍCULO RESUMIDO

Com o trio No Bico da Chaleira, ele viajou pelo Brasil a partir de 1986 tocando repertório próprio e clássicos de Dodô e Osmar. Em 1999, como resultado dessa turnê, gravou o primeiro CD, Bandolim Elétrico I. Paralelamente ao trabalho instrumental participou de vários projetos como músico, arranjador e produtor. Luli e Lucina, Ney Matogrosso, Francis Hime, Peninha e Leandro e Leonardo foram alguns artistas que tiveram sua assinatura e companhia.

Foi diretor musical em três DVDs do cantor Leonardo e em 2009 assumiu a direção musical da Fundação Bachiana, do maestro João Carlos Martins. Com a Orquestra Filarmônica Bachiana, nesse ano, participou do encontro da orquestra com Dave Brubeck e Cris Brubeck em São Paulo e em Nova York, no Lincoln Center. Ainda em 2009, atuou como diretor musical do primeiro encontro da música clássica com a música sertaneja de raiz, tendo Chitãozinho e Xororó cantando musicas de Schubert, Villa Lobos, Bach e Beethoven, além de alguns clássicos do repertório da dupla.

Em 2010, esteve na parte musical do aniversario de dez anos do programa Altas Horas, atuando com elenco que foi de Maria Gadú a Dudu Nobre; fez a direção e produção do CD e DVD de Chitãozinho e Xororó, comemorando os 40 anos de carreira, e para o primeiro encontro da Filarmônica Bachiana, na Sala São Paulo, com o DJ Anderson Noise, apresentação transmitida para o mundo todo e foi sua também a direção musical do maior evento de pagode, como o grupo Exalta Samba, originando DVD, Blueray, CD e LP. Ney encontra ainda tempo e dedicação para produzir e gravar talentos que vêm se destacando em todo o Brasil. Nomes como Rodolfo Theodoro, Ricardo Luz, Monica Guedes, Erick e Léo e a banda Onshore, que obteve mais de um milhão de visitas no Myspace, contam com seu trabalho.

Música no Burle Marx vai até fevereiro, com uma pausa em janeiro apenas. O grupo ClarinEtc, dia 05 de fevereiro, encerra a primeira fase da série. “Com essa série, o Burle Marx, através de sua fundação, proporciona Cultura à cidade e à sociedade. A música vai tornar ainda mais agradável a caminhada e a visita aqui, potencializando momentos de felicidade”, diz Raquel Domingues, diretora da instituição. Ela destaca o papel da Divina Comédia ajudando a viabilizar a iniciativa.“Música de qualidade sempre terá público na cidade, ainda mais num parque tão belo e bem conservado como o Burle Marx”, diz Sergio Ajzenberg, da Divina Comédia.

Patrimônio preservado e seguro. Tombado pelo Condephaat, por ser um dos últimos remanescentes de Mata Atlântica na área urbana de São Paulo – sua  área é de 138 mil metros quadrados – O Parque Burle Marx é considerado patrimônio cultural de grande relevância para a cidade também por possuir jardim projetado pelo paisagista Roberto Burle Marx, que lhe empresta o nome. Inaugurado como jardim em 195O, a partir de 1995, quando foi transformado em parque, passou a ter diretrizes que o definem como lugar de lazer contemplativo. Foi considerado o melhor parque da cidade de São Paulo pelo Sindicato Nacional das empresas de Arquitetura e Engenharia Consultiva (Sinaenco). Seu modelo de administração, diferente dos demais espaços públicos, busca oferecer aos frequentadores segurança num parque impecavelmente cuidado e preservado. Entidade de direito privado sem fins lucrativos, a Fundação Aron Birmann o administra de forma privada, com objetivos de aproximar a natureza das pessoas no cotidiano da São Paulo.

O QUE FAZ A DIVINA COMÉDIA

Empresa de Sérgio Ajzenberg, a Divina Comédia trabalha a Cultura como importante componente para reforçar e/ou criar marcas e fidelizar clientes. Desenvolve as seguintes ações: DIVINA CAFFÉ, PAULÍNIA FEST, MÚSICA NO BURLE MARX (na foto, Diego Figueiredo, uma das atrações da série), temporada JOÃO CARLOS MARTINS nos EUA, CONEXÃO CULTURAL CAMPINAS, CONEXÃO MANAUARA e FONTE MULTIMIDIA no Parque Ibirapuera.

' st_title='DIVINA COMÉDIA MOSTRA SHOW DE BANDOLIM ELÉTRICO NO BURLE MARX' st_url='http://www.textoseideias.com.br/clientes/divina-comedia-producao-cultural-marketing-de-relacionamento-patrocinio-qualidade/divina-comedia-faz-serie-musica-no-burle-marx/' >